É promulgado acordo para evitar a dupla tributação entre Brasil e Singapura

Assinado em 07/05/2018 entre a República Federativa do Brasil e a República de Singapura, o acordo bilateral para evitar a dupla tributação nas operações entre os países foi promulgado recentemente pelo Executivo através do Decreto 11.109, de 29 de junho de 2022, entrando em vigor a partir de 01/01/2023. O objetivo do acordo entre os países é desenvolver as relações econômicas, fortalecendo a cooperação entre as partes em matéria tributária e evitar a dupla tributação nas operações entre os contribuintes residentes de um ou de ambos os Estados.

O tratado é dividido em 31 artigos que se aplicam aos tributos sobre a renda exigidos por um dos países, sendo considerados como tributos sobre a renda todos aqueles cobrados sobre a renda total ou elementos de rendimento, incluindo tributos sobre os ganhos decorrentes da alienação de propriedade móvel ou imóvel, tributos sobre o montante total dos salários ou ordenados pagos pelas empresas, bem como tributos sobre a valorização do capital.

No acordo bilateral foi detalhada a tributação sobre: (i) o imposto de renda nas hipóteses de rendimentos imobiliários (Artigo 6); (ii) os lucros das empresas (Artigo 7); (iii) transporte marítimo e aéreo (Artigo 8);(iv) empresas associadas (Artigo 9); (v) os dividendos pagos por sociedades (Artigo 10); (vi) juros (Artigo 11) e Royalties (Artigo 12); (vii) as remuneração por serviços técnicos (Artigo 13); (viii)  ganhos de capital (Artigo 14); (ix) serviços pessoais independentes (Artigo 15) e os rendimento de emprego (Artigo 16); (x)a remuneração de direção de sociedades (Artigo 17); (xi) os rendimentos percebidos por artistas e desportistas (Artigo 18); (xii) as pensões e outras remunerações similares (artigo 19); (xiii) os salários, ordenados e outras remunerações similares pagos em razão do exercício de funções públicas como os professores e pesquisadores, estudante, estagiário ou aprendiz (Artigos 20 a 22); e (xiv) outros rendimentos (Artigo 23).

Nossa equipe de tributário fica à disposição para qualquer esclarecimento sobre o tema.


[email protected]

Últimos Posts

Receita Federal do Brasil (RFB) publica solução de consulta sobre a cessão temporária de criptomoedas fungíveis como retribuição mensal paga por pessoa jurídica domiciliada no país

Foi publicada Solução de Consulta COSIT nº 184/2024, a qual trata acerca da cessão temporária de criptomoedas fungíveis como retribuição mensal paga por pessoa jurídica domiciliada no país. No caso, foi analisada uma empresa Trader que realiza contrato de Uso e Gozo do bem digital, mediante pagamento de locação mensal em que pode haver o saque para moeda fiduciária ao final ou mantidas em uma carteira de exchange.