Edital PGDAU nº 2/2024 – PGFN lança programa de transação tributária conforme a capacidade de pagamento do contribuinte

Em 10 de maio de 2024, a Procuradora Geral da Fazenda Nacional (PGFN) publicou o Edital PGDAU nº 2/2024 promovendo o programa de transação tributária conforme a capacidade de pagamento do contribuinte, para a regularização dos créditos inscritos em dívida ativa de, no máximo, R$ 45.000.000,00 (quarenta e cinco milhões de reais).

Concede a possibilidade de redução de 100% dos juros, multas e encargo legal, observado o limite de 65% sobre o valor total de cada inscrição objeto da negociação, sob a condição de que o contribuinte realize o pagamento de 6% da dívida a título de entrada, pagos em até 6 prestações mensais e sucessivas, e o remanescente em até 114 prestações.

Às pessoas físicas, microempresas (ME), empresas de pequeno porte (EPP), Santas Casas de Misericórdia, sociedades cooperativas, demais organizações da sociedade civil e instituições de ensino, o desconto concedido deverá observar o limite de 70% sobre o valor total de cada inscrição, com o parcelamento do saldo remanescente em até 133 prestações mensais e sucessivas.

Em relação aos créditos inscritos em dívida ativa garantidos por seguro garantia ou carta fiança que decorram de decisão judicial desfavorável transitada em julgado, a PGFN possibilita o parcelamento, sem descontos, de:

i)       50% de entrada e 12 prestações do restante;

ii)      40% de entrada e 8 prestações do restante; ou

iii)    30% de entrada e 6 prestações do restante;

Inclusive, a o programa admite o pagamento por meio de precatórios federais decorrentes de decisões transitadas em julgado, conforme Portaria PGFN nº 10.826, de 2022.

O contribuinte poderá aderir à transação tributária até 30 de agosto de 2024, através do portal REGULARIZE no site da PGFN.

Para maiores esclarecimentos, a equipe de direito tributário do escritório MSTA está à disposição.

Últimos Posts

Receita Federal do Brasil (RFB) publica solução de consulta sobre a cessão temporária de criptomoedas fungíveis como retribuição mensal paga por pessoa jurídica domiciliada no país

Foi publicada Solução de Consulta COSIT nº 184/2024, a qual trata acerca da cessão temporária de criptomoedas fungíveis como retribuição mensal paga por pessoa jurídica domiciliada no país. No caso, foi analisada uma empresa Trader que realiza contrato de Uso e Gozo do bem digital, mediante pagamento de locação mensal em que pode haver o saque para moeda fiduciária ao final ou mantidas em uma carteira de exchange.